Criminal - Capítulo 4

sábado, dezembro 20, 2014 | | |
4.

 “Não há o bem, não há o mal, não há crime nem o pecado.”

- Charles Manson




 SEUNOME

Leia ouvindo : Lana Del Rey - Dark Paradise






Sou acordada por irritantes batidas na minha porta. Olho para o lado e avisto o relógio que marca 02:00h. Quem será? Rolo para fora da minha cama e me sento alguns segundos no chão enquanto encaro o teto, sem fazer nada, apenas o encarando enquanto tentava não cair de sono. As batidas não cessam nem um segundo sequer e eu sou obrigada a ir atender.

Assim que me aproximo da porta, olho pelo olho-mágico prateado e vejo a imagem um Cameron desesperado e com as mãos na cabeça. Ele anda de um lado para o outro, podia jurar que o vi tremer. Abro a porta e Cameron suspira em aliviação.

- Cameron? O que houve? É madrugada ainda... -digo coçando os olhos e o encarando.

- Precisa vir comigo imediatamente, eu conto tudo no carro! -ele simplesmente diz e se vira indo em direção ao carro.

- Hey, espera, o que houve?

- Ele. Foi ele Seunome. Ele matou de novo, e dessa vez... -Cameron disse e eu já sabia muito bem de quem se tratava. O serial killer. - Seja rápida, por favor. -ele pedi e se vira já entrando em seu carro.

Corri rápido para meu quarto e vesti qualquer roupa que encontrei pela frente, eu não me importava se estivesse na moda ou não. Talvez ainda possamos salvar essa pessoa. Não me importei nem um pouco em passar maquiagem, mesmo que meu rosto estivesse ainda sonolento, eu tinha que ser rápida. Cameron já buzinava do lado de fora e eu tratei de ser mais rápida ainda.

Desci pelas escadas e fui em direção a cozinha e sai nas portas dos fundos, que seria mais perto do que a porta da frente, já que dei de cara com o carro de Cameron, eu entrei e ele deu a partida rapidamente e olhando para trás, juro que vi uma silhueta bem em frente a casa de Zayn Malik. Talvez fosse só impressão.

- Vai me contar o que aconteceu? -eu disse o encarando. Cameron mantinha seus olhos grudados na rua, mesmo que sem as luzes do farol estaríamos fritos, já que a rua estava tão escura. Ele ignorou e por um segundo tirou seus olhos da estrada, os levando até o rádio, ligou o mesmo e uma voz masculina cantava.

Tomei a liberdade de desligar o rádio e recebi um olhar furioso de Cameron que ao mesmo tempo ligou novamente o maldito rádio. Por que ele tem que ser tão infantil? Por que não age como um adulto que é? Ele me irrita...

- Cameron, por favor, me conte!

- É melhor chegarmos lá primeiro, o delegado Jace e todo o resto da equipe, está a nossa espera. -ele finalmente disse ainda com os olhos grudados na estrada.

Então a coisa deve ser realmente muito séria, delegado Jace nunca que iria a essa hora da madrugada para uma cena de crime, ou qualquer outra coisa que seja. Muito menos toda a equipe da delegacia, eles estariam ocupados demais engravidando prostitutas ou bebendo aquele café horrível.

Esfrego mais ainda meus olhos, me obrigando a permanecer ali e por algum instante eu olho para o espelho do carro. Meu cabelo está em um coque desfiado que eu fiz na pressa vestindo minhas roupas. Retiro a presilha que o mantinha em seu devido lugar, esfrego minha mão sobre a superfície do cabelo, o soltando e trazendo minha franja para a frente.

- Eu gosto mais assim! -Cameron murmura e eu o encaro com um sorriso no rosto e ele nem sequer desgruda o olhar da estrada. Ele seria meu marido agora, se não tivesse feito aquilo tudo, mais bem, francamente foi até bom. Para nós dois, eu acho.


ZAYN


Bom? O que temos por aqui? Mais um assassinato misterioso? Esses idiotas me acordaram ainda de madrugada para presenciar novamente a cena de Becca morta, mais agora ela estava bem diferente. Estava roxa e parecia estar visivelmente queimando no inferno, Amy ainda se encontrava na banheira com seu ursinho inútil boiando ao seu lado. Você deve estar se perguntando o que estou fazendo aqui novamente, bom, eu sou advogado e estudante de psicologia, e estou aqui por que atuo como voluntário em um serviço de atendimentos a suicidas e sempre que tem algum crime como os meus, eles me chamam e nunca recuso um bom convite.

Me debrucei sobre a porta e comecei a examinar toda a sala da casa de Becca, avisto uma mulher loira, deve ser uma das policias bonitinhas que temos na delegacia. Ela praticamente me devora com os olhos. Sexo, sexo e mais sexo, é tudo o que ela pensa. Sorrio para mim mesmo. Oh, querida, não sabe com quem está se metendo. Caminho em sua direção de forma lenta, mais sempre a encarando nos olhos. Ela estava quente e suspirava enquanto eu me aproximava. Eu realmente queria muito seu corpo e seu sangue.

- Olá! - eu disse com uma voz rouca. Me aproximei ainda mais sentindo sua respiração acelerar. - Qual é o seu nome?

Ela brincava com uma das mechas longas e douradas de seu cabelo e olhava para meu corpo descaradamente.

- Por que eu lhe diria meu nome? Nem ao menos sei quem é você. - um sorriso insolente se formou em meu rosto. Está se fazendo de difícil? Não é diferente das outras, no fim são todas umas vadias.

- Olha, querida... -eu disse em uma voz rouca e ao mesmo tempo muito sedutora inclinando-me para mais perto dela e sentindo seu perfume de qualquer florzinha sem-graça. - Nós dois sabemos que você não é nenhum pouco santinha, então por que não me diz logo o seu lindo nome? - ela mordeu os lábios tentando ser provocante e por alguns segundos isso funcionou. Eu já a tenho.

- Eu sou Luce, e você? - O seu pior pesadelo, jovem Luce.

- Sou Zayn. - Eu disse, com um sorriso encantador em meu rosto. - Zayn Mali... -antes de poder terminar a frase, sinto um cheiro muito bom, poderia sentir seu cheiro a quilômetros de distancia.  Meu corpo reagiu como uma ligação química que manter átomos ligados entre si. Eu estava sendo atraído para ela e eu não podia controlar. Por um momento, eu fiquei perplexo, mas logo recomposto. Eu nunca reagi assim a uma presença, isso não é normal. 

- Zayn, eu estou aqui. -a loira diz tentando chamar minha atenção. 

-Ssh... -eu assobiei. Não tenho tempo para um vadia fácil feito você.

 Meus olhos pousaram nela, que acabara de entrar no cômodo, e de passar por nós, ela e mais outra pessoa que eu nem pude perceber já que só a encarava. Ela se mantém de costas . Assim que se deparou com o corpo roxo de Becca jogado no chão ela abruptamente parou de andar e eu sabia que ela estava assustada. Eu sabia que ela estava se sentindo apavorada e eu adorei.

A pessoa que eu logo avistei ser Cameron, o irritante detetive que sonha em ser Secretário de Segurança se pós ao lado dela, da minha Seunome e acariciou seu delicado ombro. Que diabos está acontecendo? Ela não é minha, ainda e pelo o que eu soube Seunome odeia esse miserável, não o quero perto dela, ele é podre por dentro, não a merece. Ela tem uma alma pura e divinamente brilhante. Um homem velho que ainda não pude reconhecer, entrou no cômodo e foi em direção a Seunome.

Deixei a loira de lado e caminhei  até ela, Cameron ainda mantinha uma de suas mãos no ombro de Seunome, e assim que o velho que agora era o delegado Jace se aproximou ele rapidamente tratou de soltá-la. Enquanto me aproximo, eu tinha uma vista maravilhosa da minha presa. Ela ainda estava olhando para Becca, mas eu sabia que ela poderia me sentir olhando para ela. Eu posso sentir o que ela está sentindo. Assim que me aproximo, sinto uma mão pesada e áspera sobre meu ombro. Olho para o lado e é Jace.

- Então, rapaz, já viu algo pior? -ele diz se referindo ao corpo de Becca e em meus pensamentos eu estou o xingando e dizendo que já vi e fiz coisas bem piores do que isto. Eu balanço a cabeça negativamente recebendo o olhar de Cameron e Seunome. O nariz dela se matem arrebitado e seus lábios estão rosados, os profundos e brilhantes olhos me olhando com certa curiosidade. Ela parecia mais jovem do que realmente era. Parecia ter 17 anos do que 21. Mesmo assim, ser bonita não vai ajudá-la comigo. Eu sorri. Ela virou-se imediatamente.

- Zayn, o que faz aqui? Pensei que fosse somente um atendente de suicidas. - Cameron diz em um tom irônico e eu queria meter uma bala em sua enorme cabeça agora. 

- Sim, na verdade eu ainda sou apenas um voluntário, delegado Jace me chamou e então eu vim. -minha presa ainda encarava o corpo de Becca, ela estava fascinada com aquilo, e isso me chamou atenção. 

- Bom, que seja, só não atrapalhe o trabalho policial. - ele disse e segui para outro cômodo. Ainda não é a hora de matá-lo, acalme-se Zayn.

- Não se preocupe com ele... - delegado Jace diz. - Ele só está passando por problemas no casamento, mais voltando ao caso, esse desgraçado matou uma criança afogada. Se eu o visse na minha frente agora, eu nem saberia o que fazer, nem o conheço mais ele me dá nojo! -ele diz e minha alma esta chorando de rir por dentro. Idiota. 

- Eu concordo, delegado! -Ela diz. Simplesmente diz. Com aquela voz, simples e sedutora. Eu preciso tê-la, o desejo é um sentimento e eu não tenho. Eu preferiria ir para o céu do que ter sentimentos por alguém.

 Mais ela vai ser minha de qualquer maneira. Ela vai ser minha. Sabendo que ela está no caso para me encontrar e provavelmente me prender, isso me faz querer matá-la . Talvez eu deveria. Não . Onde seria a parte divertida? Se eu matá-la. Eu não vou ser capaz de torturar e arruiná-la Se ela é tão especial ... Bem, eu vou ser especial com ela. Eu vou arruinar seu caso e torturá-la como nunca fiz antes com ninguém. No final, ela vai me implorar para matá-la. Eu me senti mais intrigado ainda quando ela foi para o banheiro onde eu afoguei Amy, suas mãos foram para sua boca. Ela estava apavorada e eu gostava muito daquilo. Quem era essa garota que está fodendo com o meu psicológico?

Continua ... 

Hi! Faltam só alguns dias para o Natal, menos de uma semana, e como isso aconteceu? Eu aqui escrevendo uma fanfic de Serial killer enquanto vamos comemorar em poucos dias o aniversário de Jesus Cristo! Uau, sinto informar que talvez eu demore um pouco para postar Criminal de novo, gente eu não tenho dormido direito, ainda é de manha e eu vim terminar o capítulo. Mais eu vou tentar dormir e postar vários capítulos para vocês! Que sarcástico esse Zaza em? hahaha




Quer uma capa para sua fanfic? FORMULÁRIO DA TIA LIZ
Meu tt: @ToledoLizz, Adeus e até mais!

12 comentários:

  1. Continua, estou a adorar esta fic!

    ResponderExcluir
  2. "minha alma esta chorando de rir por dentro. Idiota" kkkkkkkkkkk' é a melhor :3

    ResponderExcluir
  3. Nossa que legal tem uma portuguesa lendo! Parabéns, mais agora vou demonstrar minha emoção CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal um gif do filme As Patricinhas de Beverly Hills, mais continuando ATUALIZA LOGOOOOO

      Excluir
    2. to rindo aqui hahahahahahhahahaha, vc é uma fofa, amo esse filme de paixão Cher é uma diva

      Excluir
  4. Heeey liz
    Desculpa a demora pra comentar é que estou cheia dos problemas... só deu pra conseguir ler tudo hj, problemas familiares, mas acho que isso tem um fim
    então vamos a fic *uu*
    Kra quando vi essa frase no começo do capitulo já imaginava que ela encontrasse algo do Zayn diábolico ou algo do tipo e vejo que acertei haha u.u
    Cada morte, deve ser horrivel tdas elas mas vou falar disso não... imaginar muito menos
    Quartro capítulos quero logo que tudo faça algum sentido, entender algo mas enfim eu tenho que dizer pela milésima vez que amooooo esta fic e tdas as outras suas e amo muitissimoooo vc também *uu*
    e não se preocupe com a demora gata, as coisas vão se ajeitar eu acho kkkk u.u
    Bem fique tranquila quanto a isso, e tds nós aqui e temos problemas e isso é meio que normal eu acho kkkkk veja eu aqui e cheia dos problemas tbm...
    E melhoras pra vc gatona :/
    Beeeem eu amei mesmo e tal... vc escreve muitissimo bem
    até o proximo capitulo amor
    Kisses!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro essas mortes, mt daora, cara, sério.

      Excluir
  5. Cooontinua pfv ��
    To apaixonada pela fic. Vejo que não é aquelas fics bobinhas hahaha

    ResponderExcluir