Criminal - Capítulo 5

quinta-feira, janeiro 08, 2015 | | |
 5.



"É uma certeza que o demônio apresenta-se por vezes na forma de pessoas não apenas inocentes, mas também muito virtuosas."



- Rev. John Richards, século XV
 



 SEUNOME

 Leia ouvindo : Shakira - Empire



Permaneci ali, observando o corpo morto de Amy por minutos. tinha nojo daquele assassino, queria prendê-lo, fazer algo para que as pessoas -mais especificamente mulheres- não morressem. Mas por outro lado, minha mente estava agitada também por outra coisa. Pelo fato de Zayn Malik estar aqui, eu nunca o vi lá na delegacia, nem sabia que ele era um atendente de suicidas, que diabos ele está fazendo aqui?

Ele ficou ali me encarando e eu me senti pequena em seus olhos. Seus olhos. Eles eram lindos ainda intimidante. Era como que de olhar podia ver através de você, sua alma. Os cabelos estavam visivelmente bagunçados mais ainda sim sexy, vestia uma t-shirt branca e uma calça skinny de lavagem escura, como sempre usa. Parecia muito com a roupa de hoje a tarde quando ele me ofereceu uma carona, a não ser pela t-shirt vir até os cotovelos e cobrir um pouco suas tatuagens. Queria saber os significados delas, eram tantas e pareciam aleatórias. 

Seus lábios ... E sobre os lábios !? Oh, inferno não. Eu estava ali parada o encarando também, parecia uma louca. Ele parecia gostar muito de ser admirado, já que seus olhos caiam sobre mim igualmente. Não posso e também não tenho tempo para ficar olhando para um cara que mal conheço, ele pode ser qualquer coisa, até mesmo um assassino. Eu prefiro vender a minha alma ao diabo do que me apaixonar por esse cara. Além disso, não se pode ignorar a sensação que tenho quando ele está por perto. Sinto medo mais também me sinto muito bem, adoro como ele admira minha pintura, como ele é sexy e educado. Ah droga...

Bom, talvez eu devesse falar com Jace e pedir para que me tirasse do caso, não é exatamente o que eu quero, por que gostaria de ver o assassino fritando em uma cadeira elétrica, ou sendo cortado ao meio, de qualquer forma. Não posso ficar perto de Zayn Malik, ele é um perigo para mim. Eu devo manter distância. Mais como? Ele está na minha vida de todos os ângulos, é meu vizinho e agora colega de trabalho. Suspirei fundo, sentindo um cheiro horrível e deixando o cômodo onde estavam Cameron, Zayn Malik e alguns peritos.  

Segui para fora da casa a procura de Jace, logo o avistei, ele falava ao telefone e só pude ouvir suas últimas palavras ''Não vou demorar muito, logo irei embora.'' Deve ser sua esposa, Anne. Uma mulher tão boa, nos visita na delegacia algumas vezes. Anda sempre muito bem vestida, com seu cabelo castanho escuro sempre penteado, as roupas limpas e alinhadas, tem uma aparência jovem apesar de ter mais de 40 anos. 

- Delegado Jace, preciso falar com o senhor! -digo assim que ele desliga seu celular. 

- O que foi Seunome? Está se sentindo bem? -não sei se estou bem...

- Ah, bom eu queria pedir um afastamento do caso, por motivos pessoais sabe... -não queria dar muitos detalhes, sei que ele não entenderia. 

- Como assim, Seunome? -ele parecia desapontado e triste, sei que ele não espera aquilo de mim.


- Acho que a Tracy quer este caso mais do que eu, ela é uma excelente profissional e está a muito mais tempo nessa profissão também, Jace. Não sei se consigo ver mais crimes como estes, talvez até piores, sabe Deus onde ele vai parar. -disse já mordendo meu lábio inferior com força para que as lágrimas não caíssem.  Sentia uma enorme tristeza, em ver tudo aquilo e simplesmente não poder fazer nada. Saber que ele pode está nesse exato momento fazendo mais uma vitima inocente e indefesa.


Tracy é basicamente uma vaca de saltos altos e cabelos escorridos. Ela está a mais tempo que eu na delegacia de Newton, e assim que entrei, ela fez questão de ser rude. Eu ainda estava começando meu estágio, quando ela ''acidentalmente'' errou o endereço de um crime e me mandou para o convento com uma arma em punhos. Odeio ela, graças a Deus ela não está aqui. Já sei até o que ela falaria : ''Tem pessoas que nasceram para isto, e outras não!'' Já mencionei que ela é uma vaca? 

- Não posso deixar que você se afaste agora, Seunome. Precisamos de todos os profissionais possível para este caso, Tracy já está ciente de tudo, você é a principal, não pode simplesmente abandonar o caso assim de uma hora para a outra. -ele continua enquanto eu o encaro. - Sinto muito... -ele diz e caminha novamente para dentro da casa revelando um Zayn Malik sentado em uma poltrona bem perto da porta a nos encarar. 

Um calafrio percorreu minha espinha. Sentir os seus olhos sobre mim, eu virei minha cabeça lentamente, ele estava sorrindo e olhando diretamente nos meus olhos. O que ele estava fazendo aqui? Me espiando? O sorriu em seu rosto me fez estremecer. Engoli em seco e afaste-me dali, me sentando em uma dos pequenos banquinhos da praça. 

- O que estava falando com Jace? -perguntou uma voz grossa e linda, levantei meu rosto e era ele. Zayn Malik Os olhos de Zayn não me deixavam. Eles estavam grudados em mim.
  
- Estava ouvindo minha conversa com o delegado Jace? - arqueei uma sobrancelha para ele que continuava em pé na minha frente. - Acho melhor eu ir! - Eu disse rapidamente.Corri para atravessar a rua em um estalo, um carro vermelho cruza a linha ao mesmo tempo que eu. Zayn me segura, antes que eu possa ser atropelada. Seu toque me fez estremeceu.

- Cuidado, Seunome. - Ele sussurrou com voz rouca. 

Calafrios e arrepios era tudo o que eu sentia. Eu rapidamente me soltei de seu toque e ele recuou. Eu olhei para os lados e tudo estava deserto. Eu andei rapidamente para dentro da casa e comecei a fazer o meu trabalho. Eu comecei a trabalhar o mais rápido que pude. Eu não estava realmente vendo o que eu estava fazendo, tudo o que eu sabia e queria ficar o mais longe possível de Zayn. Por que eu estou com tanto medo dele?

 Terminei rapidamente meu trabalho, e pedi para Marcus, um dos peritos que me enviasse as fotos dos corpos por e-mail. Eu não conseguia ficar nem mais um segundo naquele lugar, queria minha casa, minha cama e um pouco da minha paz interior. Andei até a poltrona onde minha bolsa se encontrava, misteriosamente remexida e jogada. Vasculhei a procura de meu celular e assim que o encontrei, desbloqueei a tela revelando as horas. 04:00h. Droga, tenho que acordar daqui a duas horas, mais provavelmente eu nem irei dormir. 

- Você já pode ir, Seunome. -Jace disse chegando perto de mim e acariciando meu ombro. - E sobre aquele assunto, conversamos depois na delegacia, ok? -assenti com a cabeça e fui em direção a porta. 

Estava a 4 passos da porta até que um papel embaixo de uma coisa brilhante me chama atenção. Andei até ele  e pude perceber que era um recorte de jornal. Me aproximei, em abaixando lentamente para agarrar o papel e de repente minha respiração começou a ficar falha, minhas pernas tremiam em sintonia com meu corpo. Era eu. Há 6 meses atrás, eu resolvi um dos maiores casos da história de Newton, e fui entrevistada por diversos jornais e revistas. Era eu ali, o papel estava sujo com o pouco de sangue, provavelmente de Rebecca Middle, e logo abaixo do papel um dedo, brutalmente cortado e jogado pela casa. Tapei a boca com a minha mão e meus olhos começaram a lacrimejar. Por que uma foto minha estava ali? Por que ali havia um dedo? 

NARRADORA

- Ela ainda está em choque, então por favor leve-a em segurança... -Seunome podia ouvir Jace sussurrar para Malik, ela agora se encontrava dentro do carro de Zayn, abraçando seus braços e olhando fixamente para um ponto vazio da rua. - E não diga nada sobre o dedo, por favor. Nos vemos depois, vá com cuidado! -Malik deu a partida, olhando inúmeras vezes para Seunome. Sua vitima estava ali, indefesa, triste e provavelmente frágil depois da terrível cena.  

Os olhos de Seunome marejados brilhavam mais que a lua, e Zayn adorava ver aquilo, mesmo que a menina estivesse chorando. A menina tinha inúmeras perguntas sem respostas. ''Mais afinal quem saberia as malditas respostas?'' Ela pensou, se batendo mentalmente. Mal sabia ela que a resposta estava ali bem do seu lado, com um cigarro nos lábios.

- Você está bem? -ela nem ao menos o encarou, mantinha seus olhos fixos em um ponto qualquer sem sentido fora do carro, e seus pensamentos distantes. Com um estalo do dedo de Malik, Seunome ''despertou'' e o encarou com o semblante neutro.

- Como é? 

- Eu perguntei se você está bem... -Malik repetiu com um sorriso nos lábios.

- Sim, eu acho. -então ela voltou a encarar o ponto sem sentido, apertando ainda mais seus braços. - Por que não me disse?

- Sobre o que? -ele perguntou. 

- Como assim 'o que'? Você não acha que devia ter me contado que era meu colega de trabalho, ao invés de dizer 'de tudo um pouco'?! -Seunome virou encarando Malik, os olhos da menina estavam vermelhos de sono, raiva e tristeza.

- Desculpe, eu só não achei que fosse da sua conta! -o humor e personalidade de Zayn eram bem variáveis, como o dia e a noite, de dia claro e a noite escuro. - Afinal, que eu saiba nós só somos vizinhos e colegas de trabalho, minha vida não te interessa e nem há mais ninguém. -o rosto de Seunome ficou ainda mais vermelho de raiva.  

- Mais você devia!

- E por que? -ele a encarou, confuso mais ainda sim prestando atenção na estrada. 

- Esquece, só me leva logo pra casa, por favor!

- Só faltam três quarteirões para nós chegarmos!! -ela queria tacar algo em sua cabeça, sua linda cabeça sexy. 

Sentiu uma certa ardência em seu antebraço esquerdo, e se deparou com um machucado. Não tão grave, mais obviamente deixaria um marca por algumas semanas. Ela se lembrou de que ficaria sem poder entrar em casa, afinal sua bolsa estava em analise, por conta do certo dedo de Rebecca Middle, estava sem celular e sem ninguém. ''Ótima forma de começar um caso, em Seunome Wells!'' Pensou.

 - Chegamos! -exclamou Malik assim que estacionava seu Fordi Capri em frente a sua casa. Seunome rapidamente saiu do carro, batendo a porta com certa força e andou até sua casa. Em frustração, se sentou na grama e afundou a cabeça em suas pernas, abraçando-as. - Você poderia ao menos me agradecer, não acha?

- Obrigada. -suspirou fundo, afundando-se ainda mais.

- Não vai entrar? Está frio e você pode ficar gripada! -Malik se sentou ao seu lado, e o corpo de Seunome se acelerou. 

- Esqueci minhas chaves na bolsa, Jace deixou ela na analise... Por causa, daquilo... -ela disse se referindo ao incidente de mais cedo. 

- Quer ficar na minha casa, por enquanto? -ele ofereceu com um sorriso nos lábios e então, Seunome levantou seu olhar e o encarou. 

- Não, obrigada! 

- Ora, vamos lá! É perigoso demais você ficar aqui sozinha, a essa hora... -era perigoso ainda mais ficar a sós na casa sombria de Zayn Malik. Ela suspirou em frustração e Malik entendeu que aquilo seria um 'Sim' - Ótimo, eu só preciso arrumar algumas coisas antes, você pode ficar me esperando na porta. Eu já volto! 

Malik e Seunome, se levantaram ao mesmo tempo e ele tateou com sua mão pelo seu bolso, a procura de seu molho de chaves, e logo o encontrou. Posou uma chave pela fechadura da porta, a abrindo. Seunome, se manteve em frente a sua porta. Malik entrou no local e não teve muito trabalho para fazê-lo. Sua casa era limpa e cheirava a canela e madeira, apesar de tudo. 

Retirou a cabeçada jovem Christine de sua cozinha e a colocou dentro de um saco plástico, enrolando-a e levando até o freezer do porão, perto de todas as outras partes de suas vitimas. Borrifou algo transparente em sua cozinha e quarto, que cheirava tão bem quanto canela. Arrumou sua cama, e lavou as mãos e rosto. Andou até a porta, abrindo-a e encontrando uma Seunome impaciente, encarando a lua. Abriu ainda mais sua porta, para que ela entrasse e se escorou na parede dianteira da porta e disse: 

- Entre! 

Não entre menina, corra, se salve. Não entre no joguinho de Malik.


Continua ... 

Hi! Como vocês vão? Eu acho que o capítulo ficou grande, não acham? Esse eu escrevi em uns 5 papéis daqueles cadernos grande de escola, e ainda tive que passar para cá e editar. Sinceramente esse Malik está quebrando corações, vamos parar de matar, sim ou claro? Essa fanfic está cada vez melhor, eu sempre rio escrevendo algumas coisas nela, quando eu estava escrevendo sobre a Rebecca e o Zayn, eu ria imaginando ele ''fazendo'' com ela. Tipo... Um minuto de silêncio.


A Thami e a Isa, criaram um grupo no Facebook para avisar sempre quando tiver uma atualização de alguma das fanfics deste blog, participem, por favor :  https://www.facebook.com/groups/1532744103657192/

Meu blog novo, criei hoje então por favor me ajudem haha:  Imagine Sheerio

Estou pensando em postar Criminal (não só essa, mais todas as minhas fics) no Social Spirit, ainda não sei ao certo, mais já criei uma conta lá e se eu postar eu aviso por aqui, okay? E deem uma olhada na pagina da sinopse, eu mudei algumas coisas que podem ser importantes, ou sei lá, só olhem lá por favor!


Quer uma capa para sua fanfic? FORMULÁRIO DA TIA LIZ
Meu tt: @ToledoLizz, Adeus e até mais!

5 comentários:

  1. Você NÃO SABE MESMO QUAL É O LIMITE DA PERFEIÇÃO, COISINHA? Estou tendo uma taque aqui, Seunome na casa do Zayn... Será que rola? Amei a nova a capa de criminal e vi que vc editou algumas coisas também, aah e parabéns pelo seu novo blog, vou dar uma olhadinha lá, é claro!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu também achei uma ótima ideia postar Criminal no SS, iria ser mais lacrador ainda!

      Excluir
    2. obrigada carol, minha coisinha

      Excluir
  2. Já lhe disses que tua fanfic és a melhor que já li?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e eu já disse que te amo? obrigada minha linda!

      Excluir