Before | Capítulo 3

sábado, junho 13, 2015 | | |



Rose

 Romeu e Julieta. Uma das mais belas histórias que já li em toda minha vida, eu poderia passar dias a lendo, ainda mais com uma boa xícara de chá e com o tempo chuvoso como hoje. Quando eu tinha 6 anos, meu pai falava que quando chovia, era porque algo entristeceu as nuvens, e assim elas choravam. Em dias como este, eu poderia dizer que tudo não passava de uma bela história para bebês, mas eu queria sim que isso fosse verdade.

 Eu me enrolava cada vez mais embaixo das cobertas, me protegendo do frio. Hoje é domingo, e amanhã fará duas semanas de aulas. Desde que voltaram as aulas Harry tem saído com muito mais meninas, não que ele não saísse antes, ele sempre foi bem “ativo” eu diria, mas agora ele está exagerando. Uma semana atrás ele simplesmente humilhou Ellie em frente a todos na escola, eu sei que nunca gostei realmente dela e sempre a achei uma vaca. Mas ele escorraçou a pobre menina, dizendo que ela não tinha higiene, sabe... Naquele lugar. Eu fiquei boquiaberta e todos riram dela. Ellie obviamente ficou tão humilhada, pois mudaram seu intercâmbio para Boston, e desde então ela nunca mais foi vista.

 Já eram 22:30 e eu me perguntava onde podia estar meu pai. Pela janela do meu quarto eu pude ver um carro se aproximar, fechei meu livro, marcando a página onde eu havia parado e vesti meu agasalho verde escuro. Ajeitei pela décima vez meus óculos que caíam sobre meu rosto, meu all star preto surrado fazia um pequeno barulho enquanto eu me movimentava pela casa. Abri a porta da minha casa e fui andando em lentos passos para o arbusto, ali eu poderia ver se é mesmo meu pai. Ele sempre levava 1 minuto para estacionar o carro na garagem dos Stylinson e logo depois vinha para casa, me dava um beijo de leve no rosto, conferia as contas para serem pagas e logo depois dormia.

 Mas destas vez não era ele. Era o Harry. Suspirei em frustração e já ia andando para dentro, quando sinto alguém segurar com força meu braço. Era ele. O local estava escuro, mas eu podia ver a vermelhidão em seus olhos, ele estava bêbado. Seus dedos trêmulos e ele me olhava com certa seriedade.

- O que foi, Harry? Pode me soltar? - perguntei fazendo força para me soltar, mas obviamente falha. Seus olhos ainda vermelhos, pareciam escuros. Ele parecia... Não claro que não, Harry é um egoísta e não pensa em ninguém além de si mesmo, não é de sair derramando lágrimas por ai.

- Rose, por favor. Eu preciso mesmo da sua ajuda! - ele disse mais rouco que o normal. Assenti com a cabeça e ele agarrou com mais força meu braço, me puxando para a mansão Stylinson.

 As luzes estavam totalmente apagadas, um calafrio percorreu pelo meu corpo. O que Harry pode querer comigo? Eu não vejo motivos para ele me pedir ajuda, ele, Harold Edward Stylinson, que sempre me ignorou e me ataca sempre com comentários rudes. Antes que eu pudesse recuar, Harry já está abrindo a porta do quarto dele e me empurrando para dentro.

 Seu quarto é tão... Harry. Nas paredes tem diversos quadros diferentes e pôsteres de algumas de suas bandas preferidas. A cama está perfeitamente alinhada e os lençóis são claros. O piso é de madeira escura e mais ou menos 3 cômodas enormes de roupas ocupam grandes espaços. Não está nenhum pouco parecido com a última vez que vim aqui. Harry pede para eu me sentar e é o que eu faço. Ele caminha de um lado para o outro parecendo um louco, e eu fico zonza o encarando.

- Então, o que aconteceu? - pergunto finalmente e ele me encara roendo as unhas. O pior estar por vim. - O que você fez desta vez? - Me levantei e caminhei até ele batendo de leve meu pé no chão.

- Não foi uma coisa tão ruim assim! - Ele fez besteira, eu tenho certeza.

- Diz logo, ou então eu vou embora - normalmente ameaças não funcionam com o Harry, muito menos vindas de mim, mas desta vez foi diferente. Ele suspirou fundo e começou a retirar sua camisa. Deus. Enquanto o tecido ia deixando seu corpo, eu podia ver seu tronco perfeitamente definido e claro. Quando a camisa foi jogada em cima da cama, eu tive a visão de duas belas andorinhas pintadas em seu peito. Eram lindas, não podia haver algo mais doce e admirável. Estavam em perfeita simetria e eu por impulso as toquei, percebendo que a respiração de Harry se acelerou, seu peito se movia para cima e para baixo em um ritmo acelerado.

- Você gostou? - Ele perguntou sussurrando, levantando meu queixo fazendo com que eu o encarasse. Ele passou seu polegar sobre minha bochecha e acariciou ali por um tempo. Ele está bêbado. Essa é a única razão pelo Harry estar fazendo isto.

- É lindo. É adorável... - eu sinceramente fiquei sem palavras, minhas pernas estavam bambas e meus óculos caiam novamente sobre meu nariz, Harry gentilmente retirou meus óculos, a imagem não era tão nítida, mas ainda sim era visível a tatuagem de andorinhas. Ele colocou o meu óculos sobre uma cômoda de madeira clara e me encarou.

- Eu nunca percebi como seus olhos são tão brilhantes, você não devia mais usar esses óculos horríveis, eles escondem sua beleza, e esse é um tipo de coisa que não pode ser escondida - ele disse. Ele só pode estar me zoando. Onde estão as câmeras? Eu admito, cai em mais uma de suas brincadeiras de mal gosto, eu esperava que um apresentador saísse do armário dizendo que eu fui pega em uma pegadinha ou qualquer outra coisa.

 Ele ainda continuava perto de mim, minha respiração acelerada. Meus lábios secos e minhas mãos suavam frio. De repente uma buzina bem familiar soou sobre o quarto. Droga, meu pai! Me afastei rapidamente de Harry, que aparentemente não entendeu absolutamente nada. Corri sobre as escadas dos Stylinson, eu tinha menos de 60 segundos para chegar ao meu quarto, sai com cuidado da casa e corri o mais rápido que pude, me senti como um corredor de maratona pronta para cruzar a linha de chegada.

 Assim que entrei em minha casa, desliguei a luz da cozinha e corri sobre as escadas da minha casa até entrar no meu quarto. Apaguei as luzes e pulei na cama, tomara que ninguém tenho me visto. Coloquei a coberta sobre minha cabeça, não conseguia fingir que estava dormindo, sempre iria abrir o olho para dar uma “espiadinha”. No mesmo momento em que cobri o restante do meu corpo, meu pai entrou no meu quarto e deve ter estranhado já que ele apenas me beijou através da coberta e saiu me deixando sozinha. Essa foi quase, nem imagino o que meu pai diria se me encontrasse correndo por ai, a esta hora e pior ainda no quarto do Harry.

 O despertador soou sobre o quarto e eu abri meus olhos lentamente. Mais cinco minutos? Isso nunca funciona comigo, eu sempre caio em um sono profundo e nem um batalhão de bombeiros é capaz de me despertar. Levanto da minha cama e sigo para o banho, retiro minhas vestimentas e entro no box sentindo a água quente relaxar meus músculos tensos, lavei meus cabelos e escovei os dentes. Queria poder ficar aqui para sempre, a água é tão convidativa, o que me faz lembrar que o trabalho individual do professor de Literatura é daqui pra 6 semanas, e eu ainda nem sei sobre o que vou escrever. Eu não sei exatamente o que quero fazer, pensava em ser uma corretora, assim como a Sra. Stylinson, mas desisti antes de fazer 14 anos, e até hoje não sei o que fazer. Eu trabalho em uma pequena padaria dia sim e dia não, mas não vou fazer isto para o resto da vida. Tenho que começar a pensar em meu futuro.

 Sai do banho e segui para o meu pequeno guarda roupa, me vesti com uma saia cinza que ia um pouco até minha barriga, uma camiseta simples branca e um cardigã por cima. Calcei meus sapatos e agarrei minha mochila, antes de sair, eu procurei meu óculos por toda a parte até lembrar que eles estão com o Harry, em um reflexo, eu vi Harry da minha janela. Ele parecia distraído, segurava seus livros em uma mão, e na outra os meus óculos. Oh, não!

 Desci rapidamente as escadas e despejei um beijo rápido na bochecha do meu pai que me encarou completamente confuso, sem saber o porquê de tanta presa.

- Oi pai - agarrei uma maçã que se encontrava em cima da mesa. - Tchau pai - disse fechando a porta e recebendo um olhar estanho de Harry.

- Você deixou seus óculos no meu quarto, eu ia te trazer antes, mas você parecia estar fugindo do seu pai, então não quis incomodar! - ele disse sorrindo. Tão adorável, será que é o Harry mesmo?

- O...Obrigada, Harry! - Coloquei rapidamente meus óculos.

- Apesar de você ficar bem melhor sem eles, você está bonita - o que? Como? O Harry disse que sou bonita? Estou vivendo em um universo paralelo. Lutei contra a vontade de me beliscar ali em sua frente e ele umedeceu seus lábios. - Vamos, o Louis está nos esperando! - Ele agarrou meu braço puxando-me para o carro de Louis.

 Acenei com a cabeça para Louis que respondeu com um sorriso caloroso enquanto segurava um livro de economias. Sentei-me em meu lugar de costume no espaçoso banco traseiro e surpreendentemente Harry entrou logo atrás de mim, o encarei com uma sobrancelha erguida e o mesmo ignorou-me como sempre e enfiou suas mãos dentro de sua jaqueta de couro retirando da mesma seu celular e imediatamente virando-se para encarar o mesmo e ali permaneceu divertindo-se conversando com vadias. Revirei os olhos e obriguei-me a olhar para a paisagem fora do carro, as nuvens tampavam o sol de Londres e mesmo assim o frio não se alastrava, retirei um pouco do cabelo que caía sobre meu rosto e ajeitei pela centésima vez meus óculos.

- Chegamos! - Louis anuncia e eu rapidamente saio do carro agarrando minha mochila e quase sendo atropelada por uma bicicleta. Sou tão desajeitada. Nunca vou ter um namorado. Nunca vou ter o Harry e nem ninguém. Eu sou uma nerd de merda.

- Hey, Rose... - Ouço logo atrás de mim e hesito levemente em me virar. - Por favor, só um segundo. -Viro-me e tenho a visão de um Harry Stylinson correndo sobre a rua molhada, segurando seus livros e desviando de algumas pessoas que sorriem para ele. - Você está me evitando, Rose? - Ele ergueu uma de suas sobrancelhas e engoliu seu perfeito lábio inferior. O que ele quer comigo?

- Por que isso, Harry? Você não pode simplesmente me deixar em paz? Você já não se divertiu o bastante? Por que todo esse joguinho? - Olho bem no fundo de suas globes esmeraldas.

- São muitas perguntas e eu ficaria feliz em respondê-las mais infelizmente tenho aula agora, só quero fazer um convite para você. - Ele sorri e eu tremo.

- Um convite?

- Bom, eu fui convidado para uma festa em uma casa de fraternidade e você sabe tem música boa e bebidas grátis também... - Ele coçou atrás de seu pescoço esperando minha resposta.

- E você quer que eu vá?

- Sim.

- Por quê?

- Porque quero passar mais tempo com você...

Continua...

Hi!Gente, como foi o dia dos namorados de vcs? O meu foi maravilhoso, fique assistindo Diário de uma paixão com meu mozão, meu brigadeiro! Espero que tenham gostado do capítulo e que estejam gostando ainda mais de Before, feita com tanto carinho para vcs <3 Beijão meus amorzinhos! 


4 comentários:

  1. aii continua amor, ta perfeito <3

    Te coloquei como afiliada também e segui o seu blog, pode seguir o meu? E foi você mesma que fez seu layout? é perfeito <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, bae <3 Bom não foi em e nem a Liz que fizemos o lay, ele é da Better Land (ex One Dí Thing), mas obrigada mesmo assim. E claro que sigo o seu ;)

      Excluir
  2. Wendy directioner :) dyh ;)15 de junho de 2015 23:12

    Ta perfect liz ♥ continua logo please? *-* Harry "me" convidando para ir em uma festa com ele !! Me belisca que tou sonhando ♡ *-* ksckscksc !! Harry humilhou Ellie o_O realmente fiquei surpresa ,pensei que eles teriam um "namoro" ....divas tou amando a fic está perfect ♡
    Bjus ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Wendy <3 E digamos que o Harry não terá muitas atitudes legais aqui (chega, nada de spoiler!). Bye, kisses xx

      Excluir