Before | Capítulo 4

domingo, julho 05, 2015 | | |
 
Rose

 Fiquei paralisada, o encarando. Harold Stylison me convidando para uma festa? Ainda mais com seus amigos populares? Eu só posso estar sonhando. Poderia me beliscar, mas não aqui na sua frente. O sinal da escola soou, me lembrando de respirar e de que ele ainda continua na minha frente, esperando por uma resposta.

- Vou dar um tempo para você pensar - ele mordeu o lábio inferior, com seu jeito todo confiante. Deu uma piscada e seguiu pelo corredor, até sumir de minha vista em uma curva.

 Uma garota passou por mim, esbarrando. Não derrubei os livros, mas isso me despertou - de novo - e corri para não chegar atrasada na sala. Passei pela porta rapidamente, me sentei na única carteira que sobrou na primeira fileira, jogando meu material ali. Eu batia a ponta da caneta, freneticamente, pensando em Harry. Ouvi algumas risadinhas, viro-me para trás, Reece e seu companheiro do time de futebol, John, estavam cochichando algo para uma menina loira e outra ruiva, que estavam sentadas em cima de suas carteiras.

 Elas olharam para mim e depois se viraram, rindo para eles. Me endireitei, uma das vantagens de se sentar na frente é que você não precisa ficar olhando para a cara de ninguém e nem eles a sua. O professor entrou na sala dando um bom dia bem animado para uma segunda-feira. Abri o livro de química na parte dos exercícios. Foco, Rose, não deixe nada te distrair.


 Passei o intervalo debaixo de umas das árvores do jardim e, pela milésima vez, terminei o último capítulo do meu amado livro de Romeu e Julieta. Antes de vir para cá, fui pegar a bandeja com o meu lanche no refeitório, na mesma hora Harry entrou com seu grupo de amigos. Ele me parou, me indagando novamente sobre eu o estar evitando, claro que neguei. Mas tenho certeza de que isso não o convenceu, ainda mais depois da minha "fuga" para o jardim.

 Coloquei o livro debaixo do braço e recolhi a bandeja para levar de volta. Feito isso, fui em direção ao meu armário, pegar os livros necessários para os próximos horários. Eu estava pegando o último quando uma conversa chamou minha atenção.

- Sério, Harry? Vai recusar a minha companhia na festa do Reece? - a morena perguntou, fazendo voz de ofendida.

- Eu não disse isso - sorriu malicioso. Revirei os olhos. - Eu só não vou te buscar e levar até sua casa. Eu... Convidei outra pessoa - sua covinha ainda se exibia em seu rosto, junto com suas íris verdes voltadas para mim. Olhei para dentro do armário, não queria fazer contato visual.

- É? E se a sua companhia não quiser ir? - perguntou em tom sutil. Aposto que entendeu a indireta de Harry, pois eu sentia o peso de seu olhar sobre mim.

 Pensei no caso de seu eu aceitar e todos tiverem a mesma reação quando me vissem por lá. Não, e não. Está decido, eu não vou para essa festa.

- Tenho certeza de que ela não irá recusar - dessa vez o encarei. Por que disso? Eu suplicava essa pergunta em meu olhar para ele.

 Seu sorriso cheio de malicia e certeza só aumentava. Fechei a porta do meu armário e me virei para o lado oposto, evitando que uma versão ridícula de "he's confident" continuasse na minha mente. Esse menino me deixa louca! O pior é que só basta um olhar seu para me deixar assim.

 Às vezes eu odiava o fato de morar junto com os Stylison. Mas não por que são chatos, exceto o Harry, todos são muito gentis, mas a fama dos dois irmãos acabam atraindo atenções que eu não queria para mim. Todos os anos sofro com comentários do tipo "ela é a nerd excluída que mora no quintal deles, como o Louis ainda conversa com ela?" e "se eu dividisse o mesmo terreno com os Stylison, também não recusaria algum serviço a eles, ainda mais um trabalho especial no quarto do Harry".

 As aulas terminaram depressa e eu logo fui para o ponto de ônibus. Chegando na padaria onde eu trabalho, acenei para alguns colegas de trabalho e pus o avental cinza, começando a servir mesas e mais mesas. Após horas de trabalho meus pés já doíam e eu finalmente recebi meu pagamento semanal, tirei o avental, o guardando perfeitamente no armário.

 Recolhi minhas coisas, coloquei a mochila sobre os ombros e parei ao passar pelas duas baquetes que sobraram da venda de hoje a tarde. Paguei por elas - sim, porque nem sempre se pode pegar por cortesia da casa - e segui novamente para o ponto de ônibus.

- Pai? - gritei assim que cheguei em casa, fiquei em silêncio e não obtive nenhuma resposta.

 Deixei os pães e a chave em cima da mesa na cozinha, subi apressada os degraus da escada e o barulho do chuveiro no final do corredor se fez audível. Apenas assenti para mim mesma e segui para o meu quarto. Coloquei minha mochila em seu lugar de costume - entre a cama e a escrivaninha  -, peguei o livro de literatura para terminar alguns exercícios e depois fiquei batucando em minha cabeça sobre o trabalho das profissões. O prazo está acabando e, bem, continuo indecisa sobre essa questão.

- Rose? - escutei meu pai chamar, deixei meus pensamentos de lado, indo em direção à porta. 

- Oi, pai. Como foi a tarde? - perguntei quando me aproximei. Ele segurava uma escova de cabelo nas mãos e vestia seu traje cinza-chumbo de chofer. 

- Tranquila. Foi bom o dia na escola e no trabalho? - eu assisti e ele sorriu. - Vou sair com o Sr e Sra Stylinson, chegarei só depois da meia noite, então não fique acordada até tarde, descanse. 

- Tudo bem. Ah! Eu trouxe baquetes, vou preparar para o senhor comer antes de sair. 

- Obrigado, filha - beijou minha testa, deu um sorriso, depois ele voltou ao banheiro para terminar de se arrumar e eu desci para a cozinha.

 Fiz dois sanduíches para meu pai e esquentei o café, coloquei um pouco de água para ferver, irei fazer um chá para mim. Enquanto isso fui tomar um banho. Depois de por uma roupa confortável para dormir, voltei para o andar debaixo. Meu pai já havia comido e estava no sofá assistindo a um noticiário, fui para a cozinha já encontrando o chá fervido com as ervas de chá-mate. Dei um sorriso e comecei a preparar um pedaço da baquete para mim comer.

- Já estou indo - meu pai chegou me cutucando na cintura, ele sabe que tenho cócegas e riu ao ver minha expressão de quem não achou graça alguma. - Até amanhã - me deu um beijo na bochecha.

- Até amanhã e boa noite - sorri. Ele retribuiu, pegou a chave do carro e seguiu para o vento gelado da noite lá fora. Peguei meu copo, o prato e fui para a sala. Peguei o controle, procurando algo de interessante na televisão. Não deu nem 5 minutos e batidas na porta foram ouvidas. Me levantei, para atender a mesma. - Boa noite, Sra Stylinson - disse ao me deparar com Anne. Ela usava um vestido cumprido verde escuro muito bonito e carregava uma bolsa de mão prateada.

- Olá, Rose - sorriu, exibindo sua covinha, não eram tão profundas como as de Harry, mas não deixavam de ser adoráveis. - Você poderia cuidar de Niall para mim enquanto estamos fora? A empregada já foi embora e os meus mais velhos não tem tanta paciência. 

- Claro, eu... Só vou terminar de comer e passo lá na casa. 

- Obrigada, Rose. Se não quiser ficar sozinha aqui depois que Niall for dormir, pode ficar no quarto de hóspedes. Boa noite - concordei com a cabeça e ela foi embora.

 Olhei para o meu simples "jantar". Dei de ombros, eles não vão colocar fogo na casa se ficarem sozinhos por mais alguns minutos. Voltei a sentar no sofá, continuando a comer meu sanduíche, na TV passava um programa de comédia e eu ria de algumas piadas. 30 minutos depois, me levantei indo direto para o meu quarto. Peguei um suéter, amarrei o cabelo no alto. Me encarei no espelho, a lente do meu óculos estava um pouco suja, a limpei com o paninho fino que deixo em cima da escrivaninha e desci para o térreo, pegando as chaves e saindo de casa. 

 Tranquei a porta, me virei para o jardim escuro. Uma brisa gelada passou, cobri minhas mãos com as manga do suéter e dei um suspiro antes de começar a caminhar pela grama. A porta balcão da cozinha estava aberta, a abri devagar e entrei, a fechando lentamente. 

- Olha só, invadindo a minha casa na surdina - dei um pulo e virei bruscamente para trás.

- Louis... - murmurei, suspirando fundo, reconhecendo sua sombra no local escuro. Ele soltou uma risadinha e ascendeu a luz. Fiquei parada, observando cada movimento seu. Louis foi até o porta chaves pendurado na parede, pegou um chaveiro com duas chaves e veio em minha direção.

- Com licença? Preciso fechar a porta antes que mais alguém entre "escondido" - riu e eu fiz uma careta. Ele trancou a porta e fechou as cortinas. - Você é uma graça, sabia? - disse se virando para mim e colocou uma das mãos na minha bochecha.

- Deve ser o único que acha isso.

- E o seu pai?

- É. E ele também - disse. Louis deu um sorriso.

- Você é linda, Rose - no mesmo segundo Niall entrou correndo na cozinha. Salva pelo menininho loiro, eu não quero ter uma discussão sobre autoestima com o Louis.

- Chocolati, chocolati! - ele cantarolava enquanto corria ao redor de nós dois, nos fazendo rir.

- Vou fazer um, mas depois você vai dormir? - perguntei. Ele negou, rindo. - Não? Oh meu Deus - Niall deu mais uma risada e saiu correndo para o outro cômodo.

- Ainda bem que você veio. Ele está bem elétrico hoje - Louis negou com a cabeça. Dei um meio sorriso e fui preparar o chocolate do pequeno Nialler, ele sempre toma um leite ou chocolate antes de dormir. - Você quer assistir algum filme?

- Pode ser legal - dei de ombros, tímida.

- Vou escolher um - ele piscou e foi para a sala.

 Preparei o chocolate, coloquei no copinho do Mickey Mouse do Niall e fui o procurar. E Louis tinha razão, o menino estava ligado no 220! Nos fez correr atrás dele pela casa, quase derrubou o vaso de planta e alguns livros da estante no escritório do Sr. Stylinson, depois se escondeu Deus sabe lá onde. Louis desistiu de procurar e foi para a cozinha, dizendo que iria fazer a pipoca para comermos.

 Tranquei a porta da sala do Sr. Stylinson por precaução e voltei a procurar por Niall. Subi para o segundo andar, encarei o corredor, eu e Louis já tínhamos olhado em todos os cômodos. Menos em um. Expirei bem longo e profundo e soltei o ar devagar. Caminhei até a metade do corredor, parando na frente da porta com uma placa de "Mantenha distância: perigo". Literalmente um perigo, pensei, antes de bater.

- Ora, ora, que bela surpresa nós temos aqui - o canto esquerdo da boca de Harry se ergueu em um perfeito sorriso. Ele estava sem camisa, só usava uma bermuda preta, deixando seu tronco a mostra. Fiquei encarando as perfeitas andorinhas em seu peito, controlando a vontade de toca-las novamente.

- E-eu - gaguejei ao encarar seus olhos. Suspirei fundo. - O Niall se escondeu por aqui?

- Já procurou na varanda? Dentro do armário da cozinha e do banheiro? De baixo da mesinha da sala? - concordei com a cabeça. Ele deu um sorriso sacana e olhou para dentro de seu quarto. - Niall. Já pode sair - disse. Fiquei na ponta dos pés para olhar por cima de seu ombro, o pequeno menino loiro rastejou para fora de d'baixo da cama.

- Naum vale! Harry contou! - disse, emburrado. Harry deu uma risada e ele deu um chute com força na canela do irmão mais velho.

- Filho da... Nossa mãe. Vou te pegar, seu atentado! - Harry exclamou, massageando o local. Niall riu, divertido e correu para fora do quarto, mas segurei o seu braço, o impedindo de fugir de novo.

- Pode parando, mocinho. Seu chocolate já esfriou, vamos ter que esquentar pra você tomar - o peguei no colo e sai antes que Harry falasse alguma coisa. Enquanto eu descia a escada, comecei a dar risada. Uma comédia, pensei comigo mesma.

 Louis estava colocando o disco no aparelho e juntou as sobrancelhas ao me indagar do que eu estava rindo. Deixei Niall no sofá e fui esquentar seu chocolate, voltei para a sala e me sentei no sofá ao lado dele. Louis pegou o balde de pipoca de cima da mesinha de centro e se sentou do outro lado de Niall. O filme era Detona Ralph, Niall não parava de pular, gritando "conserta, Felix!", todo animado.

 Na metade do desenho o pequeno acabou adormecendo e eu e Louis pudemos escolher um outro filme. O castanho escolheu Tudo junto e misturado, um filme de comédia. Nós dois estávamos rindo do primeiro encontro dos personagens principais quando Harry apareceu na sala, ainda sem camisa. Ele se jogou no outro sofá e começou a aprestar atenção no filme. Poucos minutos depois comecei a perceber seu olhar pesar sobre mim, ajeitei Niall melhor ao meu lado, na tentativa de fazer parecer que aquilo não estava me incomodando. Mas estava. Eu o olhava de canto, então ele sorria e encarava até eu desviar.

- Perdeu alguma coisa aqui, Harry? - Louis perguntou. - O filme está passando ali na TV - apontou.

- Eu sei - respondeu, se virando para frente, ainda sorrindo. Louis revirou os olhos, pegou o balde de pipoca vazio e foi para a cozinha. Continuo aprestando atenção no filme, sinto um peso ao meu lado. O cheiro de Harry impregnava minhas narinas, fechei os olhos. Ai meu Deus, o que ele quer? - Oh, Rose. Você ainda não me deu uma resposta para o meu convite.

- Não, Harry. A resposta é não.

- Sério? Eu posso garantir que você não vai se arrepender - Harry se aproximou. Tocou de leve a minha mão, seus dedos de pele macia subiam pelo meu braço. Ele sorriu ao ver meus pelos se arrepiarem. - Tudo bem, vou parar de te incomodar. Eu só quero que você me acompanhe na festa - encolheu os ombros, se dando por vencido.

 Voltou para o outro sofá, se sentando de uma maneira mais comportada desta vez. Peguei Niall no colo e o levei para seu quarto. Quando desci, Louis já estava com o balde cheio de pipoca recém estouradas. Fiquei ao lado dele de novo, eu fitava a TV, já no final do filme, porém minha mente estava na pessoa de cabelos cacheados e olhos verdes há uns metros de nós.

 Quando sua mente está martelando entre prós e contras em questão de sentimentos e o coração chega atropelando tudo, fazendo um conflito interno entre mente x coração, qual dos dois você segue?

 Exatamente.


Lumus 

Hey, girls! Como vão?
Tem algum Potterhead por aqui? Usarei o Lumus (acender a luz da varinha) e Nox (desligar) agora, porque estou em um surto de HPvou amar essa saga para sempre (ALWAYSϟ).
Espero que estejam gostando de Before! O que acham que a Rose vai fazer? Como diz meu professor Ricardo, de história, do curso: Veremos nos próximos capítulos ;)
Até o próximo.
Bjão xx

Nox 

2 comentários:

  1. wendy directioner :) dyh ;)5 de julho de 2015 13:54

    novo capitulo :):) Harry Stylinson não aceita um não como resposta! ah Harold não vale esconder o fofo do Niall no seu quarto :) :3 o que será que aquele grupinho estava conversando ,e rindo olhando pra "mim"?? bem falando sobre a festa que o Harry me convidou :/ !!!! eu não sou potterhead mais acho legal ... gostando da fic? eu tou amandoooo thammy <33333333 !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! não sei o que ela vai fazer, e nem tenho palpite :( :( :( :´(
    my divas virou um textinho então vou parar

    ate mais :* bjs :* :* :* :*

    ResponderExcluir