2. O Professor - You Need Me, I Need You

segunda-feira, outubro 05, 2015 | | |
STYLES

XO - Beyoncé


   Levo alguns minutos até finalmente ir em direção ao banheiro e me encarar no espelho, meus olhos ainda estão levemente vermelhos e círculos pretos estão em sua volta, não tenho dormido bem ultimamente. Na noite passada fui a um bar com Niall, meu melhor amigo, bebemos muito e descobrimos que havia uma casa de prostituição não tão longe dali, Niall insistiu e hesitante eu o acompanhei. Niall foi para o quarto com a morena de cabelos curtos e eu escolhi uma ruiva quente que lindas pernas e era definitivamente sexy. O quarto era sujo e existia uma pequena janela que entrava um ar poluído e ruim, a ruiva tinha enormes seios e uma tatuagem horrível na coxa esquerda, a mesma levemente começou a fazer um strip tease para mim, eu não consegui segurar risadas quando a mesma se atrapalhou e caiu enquanto tentava fazer uma pose sexy, felizmente no fim não aconteceu nada.
  Entrei debaixo do chuveiro e permiti-me tomar um banho rápido para não me atrasar para a escola. Lavei meu cabelo e o xampu com leves aromas de pêssego fez com que eu lembrasse da pele de Lola, abanei minha cabeça e minutos depois já saia do banho. Amarrei uma toalha velha em torno da minha cintura e segui até meu trocador de roupas, vesti uma calça jeans escura, uma camisa branca lisa de mangas longas e dobrei-as até o cotovelo, calcei meu par de botas desgastadas que tinham um aspecto de sapato social e um sobretudo para manter-me aquecido naquela manhã cinzenta e fria. Coloquei os livros de história em minha bolsa de couro e sai do meu pequeno apartamento.

  Entrei em meu carro simples e viajei até o Starbucks mais próximo. Chegando lá, sentei-me em uma mesa qualquer próxima a janela e pedi o meu amado café com creme e uma fatia de bolo de banana, o meu preferido, ainda tinha alguns minutos até as aulas começarem então não me adiantei e comi em silêncio enquanto encarava as pessoas correrem para seus trabalhos. Uma das garçonetes me lembrou Lola. Os olhos. Não porra. Os olhos da Lola são mais instigantes e brilhantes. Paguei minha conta e sai do estabelecimento seguindo para a escola. As turmas estavam agitadas e eufóricas, afinal é o último dia de aula e não sei se isso me deixa feliz. Os pais de Lola vão colocá-la em uma faculdade na França, eles se interessaram por ela afinal as notas dela são excelentes e é uma das melhores alunas da escola, é uma oportunidade maravilhosa para ela e ao mesmo tempo ruim para mim já que significa que eu nunca mais vou vê-la novamente.

  - Professor Styles? – uma voz masculina soou sobre minha audição fazendo-me acordar do meu pequeno mundinho com Lola e só então perceber que eu já estava em sala de aula.

  - Sim, Elijah? – perguntei ao garoto de cabelos raspados e olhos claros.

  - O senhor vai corrigir os exercícios de ontem? – concordei com a cabeça andando até ele e pegando seu caderno vermelho.

  Meu olhar viajou normalmente até a carteira de Lola e ela se encontrava vazia. Estranhei aquilo. Lola nunca faltava, muito menos no final do ano. Sem perceber franzo a testa encarando o local e atraio a atenção de alguns alunos curiosos, entrego o caderno de Elijah parabenizando-o pela sua inteligência e dedicação. Ando até minha mesa castanha e reviro meus papeis procurando algumas justificativa de Lola para não estar na aula, normalmente a diretora Mullins me envia esses papeis mais não encontro nada. Estanho novamente e engulo meu lábio inferior enquanto lembro o que fizemos nessa mesma mesa.

  - Bom alunos, estamos aqui e esse ano passou tão rápido não acham? Parece que foi ontem que eu estava assumindo a turma. – recebo um burburinho animado em resposta e sorrio. – Muito obrigado por tudo, vocês são excelentes alunos e terão um futuro brilhante! – abracei todos alunos e minutos depois já os liberava para sua devidas casas. 

  - Hey, Lily... – gritei a garota que rapidamente virou-se assustada. – Desculpe, eu só quero fazer uma pergunta. 

  - Sim, professor Styles, em o que posso ser útil? – ela sorriu.

  - Você sabe por que Lola não veio? – a garota abanou a cabeça e eu suspirei em frustração. – Obrigado!

  Me despedi de Lily com um beijo em sua bochecha macia e segui para o refeitório. Normalmente as cozinheiras Martinez e Mannie sabiam da vida de todos então provavelmente elas sabia de Lola. Belisquei um cupcake para puxar assunto. Perguntei se elas sabiam o porque de Lola não ter vindo para a escola hoje alegando que eu tinha um trabalho para devolver a ela e Mannie me disse que Lola estava arrumando as malas para sua viajem que seria hoje. O meu mundo parou. Meus olhos marejaram. Engoli o nó que se formava em minha garganta e pousei o cupcake sobre a mesa de ferro azul-escura deixando o refeitório arrasado. Corri para o banheiro masculino e me tranquei em uma das cabines vazias, sentei sobre a tampa do vazo santinario e levei minha mão até a cabeça, sentia meu estomago ser enxugado como uma toalha molhada, meus olhos ardiam enquanto as lágrimas saiam e eu as limpava para sair logo dali. Ela nunca vai ser minha. Demorei mais de cinco minutos para sair do banheiro e segui para meu carro, peguei meu telefone e lembrei-me que tinha o número da casa de Lola em um dos meus papeis, o procurei e finalmente o achei.

  - Sim? – uma voz doce e bem parecida com a de Lola disse. Reconheci que fosse a mãe dela então cortei minhas esperanças pela raiz.

  - Senhora Peterson? – questionei.

  - Sim, quem está falando? – a voz soou confusa mais ainda sim simpática e agradável.

  - Sou Harry Styles professor de história da sua filha, Lola. – lembrei-a.

  - Professor Styles, claro conheço o senhor. Como vai? – pude perceber um sorriso simpático em sua voz e tive certeza que Lola não tinha contado nada, ela sempre foi tão educada comigo.

  - Eu vou bem. – menti. – Queria falar de um trabalho extra com sua filha, ela está?

  - Infelizmente não, ela foi se despedir de algumas amigas. Não sei se sabe mais ela vai para França hoje mesmo, estou tão orgulhosa pela minha filha! – a senhora Peterson sempre foi o contrario de seu marido, ela era educada e agradável, ele frio e rude. – Mais se quiser deixar algum recado eu digo a ela quando chegar, se quiser é claro.

  - Não, não obrigado! Eu vou... vou fazer uma coisa. Obrigado de novo, adeus! – desliguei antes de dar a ela algum tipo de tempo para responder.

  Soquei o volante e joguei o celular no chão do carro e ele quebrou. Perfeito. Respiro fundo quatro vezes antes de ligar meu carro e sair do estacionamento da escola. A chuva batia contra o vidro que me protegia e escorria lentamente como uma lágrima, empurrei meus cabelos rebeldes para trás e lembrei quando Lola os puxou. Eu não devia ter a ignorado. Eu devia ter dito que a amo também e que faria o possível e impossível para que ficássemos juntos, mais tudo está perdido.


 LOLA



  Andei novamente impaciente pelo pequeno apartamento de Harry esperando que ele chegasse. Meus olhos se direcionaram para sua pequena cama e ela estava desarrumada, fechei os olhos e mil pensamentos passaram pela minha cabeça. Será que ela estava desarrumada por que ele tinha dormido com uma mulher na noite passada? Será que ele já tinha outra? Será que ele esqueceu tudo o que tivemos naquela tarde? Será que ele me esqueceu? Por que ele tem me evitado? Abri meus olhos voltando para a realidade e me dando conta de que nenhuma daquelas perguntas obteriam respostas, a menos que ele falasse comigo. Meu cabelo era levado constantemente pelo vento forte e frio que entrava pela janela, mesmo assim não a fechei, eu gostaria de ver quando Harry voltaria mesmo sabendo que eu podia me arrepender se ele estivesse com alguém. Brinquei com o cós da minha jaqueta e sentei-me no sofá. Aquela casa tinha o cheiro dele, inalei e sorri enquanto o perfume maravilhoso de Harry penetrava minhas narinas. Na parede havia alguns quadros de artes muito bonitos e fotos dele com uma mulher morena bonita e muito parecida com ele, embaixo pude ver que estava escrito “Anne e Harry” É a mãe dele, logo pude perceber pois encontrei uma foto em cima da lareira de quando ele era criança, Harry estava se balançando em um balanço de parquinho de cor amarela enquanto se lambuzava de sorvete e Anne estava ao seu lado olhando e sorrindo para a câmera, segurando o braço de seu filho para mantê-lo equilibrado.

  Mesmo sendo um apartamento de homem solteiro a casa era bem organizada, não havia roupas jogadas pela casa e montanhas de louças sujas. A cor da sala era um cinza escuro muito bonito e combinava perfeitamente com cada um de seus moveis, havia um par de botas marrons escuras no canto perto da porta e reconheci ser as mesmas que ele usou naquela tarde, na nossa tarde. Por impulso andei até o seu quarto e fui até sua cômoda, agarrei uma de suas blusas de botões e inalei seu cheiro ainda mais forte e intenso do perfume da sala de estar. Ouvi um ruído vindo da entrada e corri para mesma não tendo tempo de me livrar da camisa e encontrando os olhos verdes de Harry acompanhados de uma mulher loira. Mordi meu lábio inferior impedindo que uma lágrima teimosa caísse. Ele já arrumou outra. Soltei a camisa sobre o chão e me dirigi até a porta, enquanto fazia meu caminho os dedos longos de Harry agarraram meu pulso.

  - Lola, o que faz aqui? Você não iria viajar hoje? – seu timbre e semblante eram neutros enquanto a mulher loira me encarava com uma sobrancelha levantada. Ela usava roupas de frio e deixou cair algumas malas perto de onde estava.

  - É o que você queria não é? Para ficar sozinho com as suas vadias... – disse entre os dentes e os olhos da loira se arregalaram. – Eu vou embora, não se preocupe. Foi um erro ter vindo aqui.

  - Não, espera, não vai. – o rosto de Harry caiu e o mesmo me encarou de cabeça baixa soltando meu braço. Eu tinha que ir embora, bater aquela porta e nunca mais olhar para ele, mais simplesmente não consegui.

  - Hazza, eu vou esperar lá fora. – a loira murmurou indo até Harry e beijando sua bochecha, engoli o ciúmes que sentia e olhei para ela com indiferença enquanto a mesma andava até a porta. Então ele já tem um apelido? Eles deviam estar namorando este tempo todo enquanto ele me ignorava.

  - Como conseguiu entrar aqui? – perguntou ele fazendo um gesto para que eu me sentasse e soltando as malas da mulher loira em qualquer canto e voltando a me encarar.

  - Não importa, eu fui uma idiota. Por que não me disse que estava namorando? Você me pouparia passar por esse constrangimento, Harry ou devo dizer Hazza?! – gritei as últimas palavras para que a loira pudesse ouvir e Harry agora me encarava com um sorriso nos lábios carnudos. – Ah, e agora eu virei motivo de piada, já tive o bastante por hoje! – levantei-me e antes que pudesse prosseguir ouvi a voz de Harry murmurar.

  - Não é o que você está pensando, Lola! – podia ouvir o humor em sua voz.

  - Claro, vocês homens sempre dizem isso “não é o que você está pensando.” Você é um babaca professor Styles, é sempre assim... – não consegui terminar minha frase pois fui interrompida.

  - Ela é minha irmã, Gemma. Chegou hoje de Nova Orleans, eu não sabia que ela vinha para cá, encontrei-a na portaria. – ele disse enquanto eu encarava um abajur e me batia mentalmente.

  Pude ouvir as botas dele embatendo contra o chão enquanto o mesmo se movia causando um barulho baixo. Encarei seu grande corpo virado para uma mesa e ouvi cubos de gelos batendo contra o vidro do copo, logo depois um líquido ser despejado até a boca e pelo cheiro forte era whisky. Ele bebeu tudo de uma vez só e voltou a me encarar com uma sobrancelha arqueada e só então pude perceber que ele era muito parecido com a loira que agora tinha nome.

  - Eu sinto muito. – disse encarando o chão.

  - Vai me falar o que está fazendo aqui? – ele perguntou rude e eu levantei meu olhar para encará-lo, olheiras eram visíveis embaixo de seus olhos e uma vermelhidão tremenda em suas orbes esmeraldas.

  - Eu... eu só queria ver você – seus lábios abriram-se e se fecharam em menos de 2 segundos, lágrimas teimavam em cair e eu mantinha toda a minha energia em não deixá-las rolar.

  Harry estendeu sua mão para mim e encarei seus dedos avaliando se deveria aceitá-la ou não. Suspirei e hesitante encostei meus dedos nos seus. Segurei a mão dele suavemente e ele puxou-me para perto de seu corpo. Agarrou-me em um abraço desajeitado mais ao mesmo tempo completo como se fôssemos apenas um.

  - Eu te adoro, Lola! – ele sussurrou em meu ouvido enquanto agarrava com mais força minha cintura. Um choque percorreu meu corpo e foi como se a felicidade se aumentasse em volume, desde os meus pés até o meu rosto, que parecia poder iluminar todo o mundo.

  Harry levantou levemente o meu queixo para que eu o encarasse, o cacheado umedeceu os lábios e se aproximou do meu rosto deixando um beijo carinhoso em meu queixo. Voluntariamente fechei os olhos e mordi meu lábio inferior esperando ser beijada e foi o que aconteceu. Harry tentava manter um beijo calmo enquanto eu o beijava de forma selvagem, apertando sua coxa, desci minha mão até o zíper das calças de Harry e tentei abri-la sendo interrompida pelos dedos longo de Harry retirando-me daquele local. Grunhi em meio ao beijo e voltei a refazer meus movimentos.

  - Lola, o que está fazendo?! – Harry sussurrou separando ambos os lábios e encarando-me.



  - Eu quero reviver aquela tarde, professor Styles...


Continua... 

Hi! Manas eu demorei pra atualizar? Espero que não, nunca tive tantas coisas para fazer e preciso me organizar um pouquinho. Eu venho pensado em algumas ideias para fanfics e quem sabe, em breve eu não apareça aqui ou no S1D com uma sinopse? Mas antes, preciso me organizar! Beijinhos e até a próximas meus amorzinhos!

meu perfil no SS: https://socialspirit.com.br/perfil/fiawlessliz
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário